Passeio para a Foz do Rio São Francisco em Alagoas

O passeio à Foz do Rio São Francisco merecia um post só para ele. Não tinha jeito!

Então vamos lá…

Onde é o passeio da Foz do Rio São Francisco

A sede do passeio fica em Piaçabuçu, em Alagoas, mas quase em Sergipe. São cerca de 1:40 de carro para ir e mais 1:40 para voltar da Praia do Francês.

Endereço Avenida Ulisses Guedes, 264. Piaçabuçu-AL, Brasil

Como reservar o passeio com “As Ribeirinhas”

O passeio é feito pelo receptivo “As Ribeirinhas”, para reservar você pode entrar em contato por e-mail, telefone ou WhatsUp;

Telefone (82) 9 9800-6603 (TIM) 82 99625-3385 (Arylene), 82 99800-6603 (Ana Laura), 82 99337-7794 (Janyne)

@receptivoasribeirinhas

Email receptivoasribeirinhas@gmail.com

Reserve com antecedencia o passeio, principalmente na alta temporada.

O valor é de R$153,00 por pessoa. Não é barato, mas vale muito o preço. Pode confiar.

Quais são as opções de passeio na Foz do Rio São Francisco

Existem 3 opções de passeio, o primeiro é feito apenas de barco, o segundo é feito apenas de jipe e o terceiro combina o barco e o jipe. Todos os passeios saem de forma geral as 9:30 ou às 14:30.

Como funciona o passeio à Foz do Rio São Francisco

Agora vou contar um pouco da minha experiência para vocês.

Fomos em um domingo e conseguimos agendar o passeio apenas para as 14:30.
Com isso, tomamos nosso café e passamos uma parte da manhã na Praia do Francês, para depois seguir viagem até Piaçabuçu.

Saimos do Francês as 12:00 para não correr o risco de atrasar. Antes de sair, pedimos para o nosso hotel preparar dois lanches para a viagem pois sabíamos que não teríamos tempo para almoçar. E foi o melhor que fizemos porque não tem qualquer ponto de apoio ou posto na estradinha, fica a dica! Saia do Francês com o carro abastecido. Na entrada do vilarejo do Francês tem dois postos de gasolina.

Chegando na cidade, você já vai perceber que por alí o ritmo é bem mais calmo e um calor que só por Deus. Fomos muito bem recebidos pelas Ribeirinhas. O local sede conta com banheiro limpinho, um pequeno bar onde você pode escolher entre refrigerante, cerveja e água de coco natural. Você paga na hora e eles colocam as bebidas em um isopor com gelos para que você leve no passeio. Elas comentaram que em alta temporada servem almoço, mas é sempre bom consultar elas antes e fazer a reserva do almoço.

Nós optamos pelo passeio de Jeep na ida e na volta, isso porque quem me conhece já sabe que tenho histórico de passar mal nos barcos.

Saímos pontualmente da sede das ribeirinhas, com a companhia de dois guias e com a Chicona (apelido carinhoso para o Jeep azul e amarelo que nos levou no passeio). Demos muita sorte, pois em outubro, baixa temporada, só havíamos nós dois no passeio. Foi um passeio privativo e que gostamos mais ainda, por que podemos ficar do lado de fora do Jeep aproveitando toda a paisagem.

DCIM100GOPROGOPR0104.JPG
Olha aí a Chicona e nós dois nos lugares VIP

Começamos super envergonhados com o guia e terminamos melhores amigos dele, já comentei que as pessoas de Alagoas são realmente sensacionais? rsrsrs Infelizmente como demorei muito para escrever esse post não me lembro do nome dele.
No início do passeio, você pega uma parte da rodovia pela qual você chega nas Ribeirinhas, logo após entra em uma estrada de terra, passando por entre fazendas de coco, até chegar em uma porteira.

DCIM100GOPROGOPR0087.JPG
Passando pelas fazendas com a Chicona

Passando a porteira você entra em uma propriedade cheia de cactos, uma fazenda de cactos e depois de alguns minutos avista a casa da fazenda, o rio SF logo atrás, mas ainda não chegamos na sua Foz.

DCIM100GOPROGOPR0106.JPG
Fazenda de Cactos

A fazenda termina em enormes dunas de areia. É muito lindo, aquele clarão na sua frente a perder de vista. Tivemos muita sorte porque o céu também estava de um azul incomparável.

O guia subia as dunas e depois descia deslizando com jipe. Uma delícia!  Fizemos uma parada em uma das dunas para tirar fotos e deslizar de skibunda e skipança em um escorrega natural de areia: basicamente você deixa em uma tábua de madeira adapta e desliza pela duca de areia. Confesso que senti medo no começo e pensei: não vou descer nisso nem a pau. Mas daí, o guia subiu na prancha, ensinou como descer e parecia ser bem divertido e seguro. Deixei meu marido ir na frente para testar ahahah e não é que ele achou sensacional!!!

DCIM100GOPROGOPR0119.JPG
O guia tentando tirar nosso medo…

Daí tive que ir também (this is the life) e depois de chegar lá embaixo, queria subir para descer mais outras tantas vezes. Não sei como funciona quando tem mais gente, mas nós tivemos bastante tempo porque estávamos só em dois. O segundo guia também estava com medo de descer, mas no final nem ele se aguentou!! Eles ainda comentaram que em época de chuva forma-se uma lagoa no final desse escorrega e fica ainda mais divertido.

20190930_152004
Olhando assim não dar para ter menor noção 

Depois de lá paramos em uma comunidade que vive no meio das Dunas e que conseguem coletar água no fundo da areia. Lá eles vendem óleo de coco natural e aqui fica a dica para as mulheres: carraaaaa como eu me arrependo de não ter comprado mais!! Eu comprei um frasquinho para poder ajudar a comunidade e aquele óleo faz milagre no cabelo! Imagina! Nem se compara com o óleo de coco industrializado que compramos no supermercado de SP.  Pior! Era super barato, então façam diferente por favor kkkk

Guias Ribeirinha
Chicona, eu e nosso queridos guias

Saindo da comunidade, fomos direto para Foz do Rio e que L-I-N-D-O era aquilo. Tivemos a sorte de ir no domingo no final do dia, e era a hora que todo mundo já tinha ido embora e só ficou eu e meu marido curtindo a paisagem daquele rio gigantesco com o pôr do sol atrás. O guia comentou que nos passeios da manhã ficam alguns ambulantes vendendo coisas por ali (tipo não!!!! tentei ir no passeio da tarde viajadeiro, com certeza o passeio perde a graça com um monte de gente naquele lugar). Não perdemos a chance de tomar um belo banho de rio sempre pertinho da beira porque já conhecíamos as histórias do Velho Chico.

DCIM100GOPROGOPR0152.JPG
Velho Chico, encantador

Ficamos por lá por cerca de uma hora, bem tranquilos. Depois, o nosso guia foi nos buscar (ele fica por lá, mas dá privacidade aos turistas)  e voltamos todo caminho.

Detalhe que vimos o sol se pôr nas dunas em uma mistura de cores incrível, nunca vou esquecer dessa cena.

DCIM100GOPROGOPR0169.JPG
Não perdemos a chance de brincar um pouquinho mais, antes de ir embora

Chegamos a ver anoitecer com um mar de estrelas no céu enquanto voltamos pela fazenda no crepúsculo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O caminho de volta para o Francês, é realmente cansativo mas o passeio é imperdível e sensacional, não tem como você ir para Maceió e não fazer este passeio.

Agradecimentos ao Filipe que nos deu a dica de ouro.

Não perde essa Viajadeiro!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s